Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Upcoming SlideShare
Curtir, comentar e compartilhar: Uma análise netnográfica da fanpage Oreo
Next

10

Share

<ul><li>Organização ofensiva </li></ul><ul><li>(continuação) </li></ul><ul><li>Anderson e Estudo Manchester United FC

Organização ofensiva (continuação) Anderson e Carrick jogam sempre em aproximação ao portador da bola, privilegiando bastante a segurança e o critério. Vão alternando entre os dois movimentos mais verticais (Cleverley mais forte neste aspecto). Em 3ª fase o grande destaque da equipa vai para a imprevisibilidade dos dois extremos – Ashley Young e Nani. Ambos com grande capacidade técnica e poder no 1x1 e muito precisos em situações de último passe ou finalização. Importante precaver e bloquear movimentos interiores de ambos, dedicando especial atenção ao típico movimento interior de Young que procura muitas vezes puxar a bola para o seu pé direito para rematar ou cruzar em arco para o poste mais distante (golo ao Arsenal e várias tentativas perigosas frente ao Tottenham e WBA). Bastante fortes em acções de envolvimento com os laterais. Rooney movimenta-se quase sempre nas costas do outro avançado (Welbeck ou Hernandez), possuindo uma dinâmica bastante interessante na meia esquerda onde aparece a combinar muito bem com o extremo. Importante não dar tempo e espaço para executar nas imediações da área. Grande facilidade e precisão de remate. Welbeck vinha tendo oportunidades a titular, mas uma arreliadora lesão impediu-o de viajar para Lisboa. Mesmo sendo bastante forte fisicamente, possui boa mobiildade e boa presença em situações de finalização na grande área. Hernandez foi o seu substituto natural e estreou-se na época em grande estilo com 2 golos e uma excelente exibição frente ao Bolton. Rapidíssimo e muito oportuno nas imediações da área (ataca muito bem o primeiro poste – atenção). O “esquecido” Berbatov é outra alternativa para o ataque, caso Ferguson opte por dar descanso a algum dos seus homens da frente. ANÁLISE MANCHESTER UTD FC (4/8) ASPECTOS OFENSIVOS Transição ofensiva Mudança de atitude média/alta. Quando recuperam a bola em zona recuada circulam pelos defesas, procurando sair a jogar de forma organizada e paciente; mantêm o padrão da organização ofensiva (ligação central-médio centro como referência para a organização de jogo). Em recuperações em zonas mais avançadas, têm capacidade para sair de forma bastante agressiva com Nani, Young, Rooney e Hernandez a terem grande capacidade para progredir rapidamente com a bola. Muito importante privilegiar a segurança e minimizar erros em posse.

  • RicardoSampaio8

    Dec. 29, 2014
  • joaopinho587

    Jul. 25, 2014
  • fecoziskind

    Jan. 28, 2013
  • rodrigosaffi

    Dec. 30, 2012
  • pimenta86

    Dec. 23, 2012
  • drtagus

    Oct. 18, 2012
  • joaomercurio

    Oct. 18, 2012
  • JooFerreira13

    Oct. 18, 2012
  • RuiFerreira24

    Oct. 16, 2012
  • RicardoValeMartins

    Oct. 16, 2012

Organização ofensiva (continuação) Anderson e Carrick jogam sempre em aproximação ao portador da bola, privilegiando bastante a segurança e o critério. Vão alternando entre os dois movimentos mais verticais (Cleverley mais forte neste aspecto). Em 3ª fase o grande destaque da equipa vai para a imprevisibilidade dos dois extremos – Ashley Young e Nani. Ambos com grande capacidade técnica e poder no 1x1 e muito precisos em situações de último passe ou finalização. Importante precaver e bloquear movimentos interiores de ambos, dedicando especial atenção ao típico movimento interior de Young que procura muitas vezes puxar a bola para o seu pé direito para rematar ou cruzar em arco para o poste mais distante (golo ao Arsenal e várias tentativas perigosas frente ao Tottenham e WBA). Bastante fortes em acções de envolvimento com os laterais. Rooney movimenta-se quase sempre nas costas do outro avançado (Welbeck ou Hernandez), possuindo uma dinâmica bastante interessante na meia esquerda onde aparece a combinar muito bem com o extremo. Importante não dar tempo e espaço para executar nas imediações da área. Grande facilidade e precisão de remate. Welbeck vinha tendo oportunidades a titular, mas uma arreliadora lesão impediu-o de viajar para Lisboa. Mesmo sendo bastante forte fisicamente, possui boa mobiildade e boa presença em situações de finalização na grande área. Hernandez foi o seu substituto natural e estreou-se na época em grande estilo com 2 golos e uma excelente exibição frente ao Bolton. Rapidíssimo e muito oportuno nas imediações da área (ataca muito bem o primeiro poste – atenção). O “esquecido” Berbatov é outra alternativa para o ataque, caso Ferguson opte por dar descanso a algum dos seus homens da frente. ANÁLISE MANCHESTER UTD FC (4/8) ASPECTOS OFENSIVOS Transição ofensiva Mudança de atitude média/alta. Quando recuperam a bola em zona recuada circulam pelos defesas, procurando sair a jogar de forma organizada e paciente; mantêm o padrão da organização ofensiva (ligação central-médio centro como referência para a organização de jogo). Em recuperações em zonas mais avançadas, têm capacidade para sair de forma bastante agressiva com Nani, Young, Rooney e Hernandez a terem grande capacidade para progredir rapidamente com a bola. Muito importante privilegiar a segurança e minimizar erros em posse.

Views

Total views

12,094

On Slideshare

0

From embeds

0

Number of embeds

1,374

Actions

Downloads

0

Shares

0

Comments

0

Likes

10

×