Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

3

Share

Download to read offline

Saber cuidar. Leonardo Boff. Resumo

Download to read offline

Baixem para terem acesso às anotações, animações e vídeos.
Seminário apresentado na disciplina de Saúde da Família, no curso de Medicina, da UFCG

Related Books

Free with a 30 day trial from Scribd

See all

Saber cuidar. Leonardo Boff. Resumo

  1. 1. Seminário Saber Cuidar Aluno: Neuzelito Cavalcanti Sobral Filho Disciplina: Saúde da Família Medicina
  2. 2. Leonardo Boff Leonardo Boff, pseudônimo de Genézio Darci Boff (Concórdia, 14 de dezembro de 1938), é um teólogo, escritor e professor universitário brasileiro, expoente da Teologia da Libertação no Brasil e conhecido internacionalmente por sua defesa dos direitos dos pobres e excluídos.
  3. 3. Abertura  A sociedade contemporânea( sociedade da comunicação) cria a solidão.  Internet VS realidade concreta.  Mundo virtual criou um habitat para ser humano centrado em si mesmo e pela falta do toque, tato e contato humano  Contradição com os fundamentos da vida humana = cuidado e compaixão
  4. 4. Abertura  Mitos antigos e pensadores contemporâneos ensinam que a essência humana está no cuidado  Cuidado é o suporte para criatividade, liberdade e inteligência.  É nele que se encontra o nosso ethos. Frodo e Sam.
  5. 5. Abertura  A nossa sociedade tem ameaçado a essência humana ( cuidado).  Cuidado não pode ser suprimido. Sempre encontra brechas. Ex: Tamagochi (solidão)
  6. 6. Abertura  Apesar da desumanização da nossa cultura, a essência nunca se perde.  Ele existe, embora o cuidado seja transferido para um aparelhinho eletrônico.
  7. 7. A falta de cuidado  Necessidade de uma nova forma de convivência em que haja respeito e preservação de tudo o que existe e vive.  Sintomas da crise civilizacional  Descuido pela vida de crianças.  Descuido pelos pobres e marginalizados  Descuido pelos aposentados e idosos  Descuido pela dimensão espiritual  Descuido pela coisa pública  Descuido pela terra
  8. 8. A falta de cuidado  Muitos se rebelam contra essa situação, mas sentem- se impotentes.  Outros perderam a fé.  Alguns tem esperança, mas propõem remédios inadequados( tratam apenas os sintomas)
  9. 9. A falta de cuidado  Modernidade cientifico-técnica: Realismo materialista.  Realismo: Realidade independente do sujeito que a observa.  Unidade: não há objeto sem sujeito e sujeito sem objeto.  Materialista: Matéria(átomos) constitui a única realidade, as demais são derivadas dela.  Física quântica demonstrou a interconexão de tudo. Ligação entre realidade e observador.
  10. 10. Gato de Schrödinger
  11. 11. A falta de cuidado  Após séculos de cultura material, buscamos:  Espiritualidade baseada na percepção do mistério do universo e do ser humano.  Compaixão  Solidariedade  Honestidade  Competência
  12. 12. A falta de cuidado  Necessidade de revisitar a sabedoria ancestral para aprendermos a construir um novo ethos:  Melhorar a convivência entre os humanos e os demais seres da comunidade biótica planetária e cósmica  Ethos ganhará morais( valores, comportamentos e atitudes) consoantes as varias culturas e espiritualidade para salvaguardar o planeta.
  13. 13. Cuidado  Cuidar é mais que um ato, é uma atitude.  Abrange mais que um momento de atenção.  Representa uma atitude de ocupação e envolvimento afetivo com o outro.  Modo-ser-essencial: qualquer coisa que é feita é acompanhada de cuidado.  Cuidado entra na natureza e constituição do ser humano.  Sem cuidado, ele não é humano. Desestrutura, definha, perde o sentido e morre.
  14. 14. Mitos  Mitos juntos com as religiões elucidam a essência humana.  É errado afirmar que conhecemos mais que os antigos  Convém revisitá-los, valorizar suas contribuições e escutar suas lições.  Mitos: traduzem fenômenos profundos. Ex: amor.  Devemos combinar o rigor científico com a inteligência emocional( mitos)
  15. 15. Mitos  As múltiplas divindades representam as muitos muitas emoções e comportamento do ser humano.  Não somos somos monoteístas, mas plurais.
  16. 16.  Mito= clichês ou crenças coletivas acerca de temas relevantes. Ex: mito do sexo frágil.  Uma inteligência emocional. Tão legítima como qualquer outra.  Se comunica através de narrativas que utilizam símbolos, deuses, céu e a terra ou histórias verdadeiras.  São representações da consciência coletiva.  Expressam valores que não podem ser expressos por conceitos.
  17. 17. A saga de Higino  Foi escravizado levado para Roma por Júlio Cesar.  Passado algum tempo, foi libertado.  Encaminhado à melhor escola da época  Tornou-se diretor da biblioteca Palatina.  Virgílio foi seu aluno  Morreu pobre, pois não sabia administrar seus negócios
  18. 18. A saga de Higino  Sua obra principal = Fábulas ou Genealogias = compilação de 300 mitos e histórias greco-latinas.  O mito do cuidado tem origem grega, mas foi reelaborada por Higino nos termos da cultura romana.
  19. 19. Fábula do mito cuidado “Certo dia, ao atravessar um rio, Cuidado viu um pedaço de barro e teve uma inspiração. Pegou no barro e começou a dar-lhe forma. Enquanto contemplava a sua obra, apareceu Júpiter e Cuidado pediu-lhe que soprasse espírito sobre ela. Júpiter assim fez. Mas, quando Cuidado quis dar um nome à criatura que tinha moldado, Júpiter proibiu-o e exigiu que fosse imposto o seu nome. Enquanto Júpiter e Cuidado discutiam, surgiu, de repente, a Terra. E ela também quis conferir o seu nome à criatura, pois esta foi feita de barro, material do seu corpo. Originou-se uma discussão generalizada. Finalmente, de comum acordo, pediram a Saturno que fosse o árbitro nesta questão. Saturno tomou a seguinte decisão: Tu, Júpiter, deste-lhe o espírito. Receberás, pois, o espírito de volta por ocasião da sua morte. Tu, Terra, deste-lhe o corpo. Receberás, portanto, de volta o corpo quando ela morrer. Mas, como tu, Cuidado, moldastes a criatura, ela ficará sob os teus cuidados, enquanto viver. E ela se chamará homem, isto é, feito de húmus, que significa terra fértil.”
  20. 20.  A fábula-mito cuidado expressa o sentido do cuidado para a vida humana.  Forças universais atuam no seu surgimento: céu( júpiter), terra( Tellus) e a história e a utopia(saturno)  Experiência compartilhada por outras culturas :criação do ser humano a partir do barro e terra. Ex: Adão.  Ser humano não pode ser interpretado apenas a partir da Terra, ele possui algo do céu(júpiter).
  21. 21. Dimensão de Júpiter  Representa o pai e o senhor da luz  Representa na fábula como criador e doador de vida e espírito.  Configura a transcendência da realidade.  Doa o princípio da vida: a espiritualidade.
  22. 22. Dimensão terra  Grande mãe, lar e terra cultivada = organismo  Não pode ser depredada = tempestades, raios e secas.  O ser humano mantinha relação de veneração e de terror à Terra.  Ciência moderna dessacralizou e reduziu a terra a um baú de recursos a serem explorados.
  23. 23. Dimensão de Saturno  Por que exatamente Saturno e não outro Deus?  Arquétipo do governo sábio, do legislador justo e do rei magnâmio.  Utopia: idade de ouro  Saturno/Crono relacionado com o tempo.  Assim, o ser humano é utópico e histórico-temporal.
  24. 24. “O ser humano carrega em sim a dimensão Saturno junto com o impulso para o céu, para a transcendência( Júpiter). Nele também revela o peso da terra( Tellus). É o cuidado que mantém essas polaridades unidas.”
  25. 25. Dimensões do cuidado  Terra  Somos Terra. Viemos da terra e a ela voltaremos.  Somos terra que evoluiu para um estágio de sentimentos, compreensão, vontade= autoconsciência “ Daqui da lua, não notamos diferença entre Terra e humanidade”
  26. 26. Teatro cósmico:  Cósmico: expansão do universo  Químico: elementos químicos formados no bigbang. 10 bilhões de anos  Biológico: vida há 3,8 bilhões de anos  Humano: 10 milhões de anos  Planetário: sente-se como ser mente consciente da terra, um sujeito coletivo.
  27. 27. Teatro cósmico:  So podemos entender o ser humano- Terra, se conectarmos com todo esse processo universal.
  28. 28. Sentir terra  Ter uma base firme, nosso ponto de contemplação, para poder alçar voo para além deste pedaço de terra.  Perceber dentro de uma comunidade com outros filhos e filhas.( microorganismos, insetos, plantas etc)  Ao lado da espiritualidade, surgiram as instituições matriarcais = sociedades perpassadas de reverência pela vida.
  29. 29. Céu  Big bang(15 bilhões de anos), expansão, resfriamento.  Temperatura do universo e espaço se alteram, mas não as 4 energias fundamentais( gravitacional, eletromagnética, nuclear forte e fraca)  Se houvesse pequeníssima alteração nessas energias, jamais haveria galáxias e estrelas.  “Universo é consciente e possui propósito?”  “4 energias inalteradas seria obra de um ser criador?”
  30. 30. Céu  Nosso desejo é de alcançar os confins do céu, embora enraizados no planeta terra, temos a mente ancorada no céu  Guardamos memória ancestral de nossas origens celestes.  Temos o céu dentro de nós = dimensão celestial de transcendência  Espiritualidade de ruptura com as raízes: céu x terra. É próprio do masculino fazer esse dualismo
  31. 31.  O ser humano não pode viver sem uma utopia( idade de ouro)  A utopia não pode ser utopista, para não ser uma fantasia e fuga irresponsável da realidade.  É na história que ocorre a conexão do Todo( feminino) e o infinito( masculino)  É com o cuidado que é possível a síntese entre terra/céu, utopia/história.
  32. 32. Natureza do cuidado  Não temos cuidado, somos cuidado.  Significado: cogitare-cogitatus= curar  Atitude de solicitude, atenção, preocupação, inquietude etc Modos de ser no mundo  2 modos: o trabalho e o cuidado.  A partir daí emerge o processo de construção da realidade humana
  33. 33. Ser-trabalho  Construção do habitat e adapta o meio ao seu desejo.  Prolonga a evolução( construir um carro)  Primitivamente o trabalho era mais interação do que intervenção, pois o ser humano venerava a natureza.  Só utilizava aquilo que precisava.  Processo de intervenção começou no homo habilis.  Cibionte: superorganismo híbrido( seres humanos,máquinas e redes de informação.
  34. 34. Ser-trabalho  Lógica de ser-trabalho atualmente: configura por dominar as coisas e colocá-las aos interesses pessoais = antropocentrismo  Ignora que o sujeito derradeiro da vida, sensibilidade etc, é a terra, o universo.
  35. 35. Ser-cuidado  Permite ao ser humano viver a experiência fundamental do valor, daquilo que tem importância. Não do valor do valor utilitarista.
  36. 36. Ditadura do ser-trabalho  Desafio: trabalho X cuidado  Juntas se compõem. Constituem a integralidade da experiência humana = ligada à materialidade e à espiritualidade.  O cuidado foi difamado como feminilização, como empecilho e como obstáculo à eficácia.  Não se vê outra coisa no ser humano senão sua força de trabalho a ser explorada.
  37. 37. Ressonâncias do cuidado  Amor como fenômeno biológico:  Seres estão interconectados necessariamente pelo ecossistema, porém há uma forma espontânea de interação por puro prazer (amor)  Justa medida: ser humano se ajusta com mudanças na natureza e deve senti-la para que isso aconteça.  Ternura vital: é o afeto que devotamos à vida. Diferente de sentimentalismo( inconsciente)
  38. 38. Ressonâncias do cuidado  Blaise Pascal  Espirit de finese: espírito de cuidado e ternura  Espirit de geometrie: espírito calculatório e centrado na eficácia do poder( modernidade)
  39. 39. Ressonâncias do cuidado  Carícia: uma das expressões máximas do cuidado. Uso da mão  Cordialidade fundamental: modo de ser que descobre um coração palpitando em cada coisa, em cada pedra etc.  Convivialidade: visa combinar o valor técnico da produção com o valor ético.  Compaixão: virtude pessoal de Buda
  40. 40. Concretizações do cuidado  Cuidado com o nosso único planeta  Cuidado com o nicho ecológico  Cuidado com a sociedade sustentável  Cuidado com o outro  Cuidado com os pobres, oprimidos e excluídos  “Enquanto eles não se conscientizarem, não serão rebeldes autênticos e, enquanto não se rebelarem, não têm como se conscientizar.” 1984, George Orwell
  41. 41.  Cuidado com o nosso corpo:  Através do corpo se mostra a fragilidade humana.  Começamos morrer ao nascer  Entender a mortalidade da vida ajuda a entender a saúde e a doença.  Doença significa um dano à totalidade da existência.  Não é uma parte que está doente, mas é a vida em todos dimensões: em relação a si mesmo( experimenta os limites da vida), em relação com a sociedade( deixa de trabalhar), em relação ao sentido global da vida(crises existenciais)
  42. 42.  Saúde não é um estado nem um ato existencial, mas uma atitude face às varias situações que podem ser doentias e sãs.  Ex: alguém pode estar mortalmente doente e ser saudável espiritualmente.  “saúde não é a ausência de danos. É a força de viver com esses danos”
  43. 43. Cuidado com a cura integral  Cura é um processo global, envolvendo a totalidade do ser humano e não apenas a parte enferma.  Em Epidauro as curas eram processadas de forma holística. Através de dança, música, ginástica, sono, poesia e etc.
  44. 44. Quem sou eu? Há vida após a morte?  A espiritualidade do ser humano busca essas respostas através de símbolos e religiões.
  45. 45.  Curva do homem-corpo: nasce, cresce, madura, envelhece e morre.  Curva do homem-espírito: Percurso inverso. Nasce, desabrocha, realiza virtualidades como falar, amar... Vai nascendo mais até acabar de nascer( morte física)  “ Não vivemos para morrer, morremos para ressuscitar”
  46. 46. Patologias do cuidado  Negação do cuidado  Ser humano fica entregue à lógica do ser-trabalho, torna-se excludente e a maltratar as pessoas  Cuidado em excesso  Não se pode ser apenas cuidado, ele é a essência do humano, mas o humano não é só essência.  Gera narcisismo. Pessoas se atrasam, perdem horários e irritam os demais.  Perfeccionismo imobilizador.
  47. 47.  Cuidado em carência (descuido).  Não conseguem fazer ser direito no que fazem.  Coisas aparecem mal feitas, largadas, confusas etc
  48. 48. Figuras exemplares de cuidado  Mães e avós  Educadores  Crescimento humano, mental e espiritual  Jesus Cristo  Francisco de Assis  Cuidado com a natureza, animais, aves e plantas  Madre Teresa de Calcutá:  Ajudava os pobres e moribundos
  49. 49.  Irmão Antônio:  Caçador de sorrisos em rostos tristes.  Mahatma Gandhi  Força da verdade e não-violência ativa.  José da Trino( profeta da gentileza)  Começou a propagar gentileza.
  50. 50. Feng-shui  Baseada no Taoismo e é usada na harmonização energética de ambientes, bem como na escolha de locais ideais para construir e definir soluções de integração do homem com o meio ambiente a fim de obter prosperidade em todos os aspectos: Saúde,Trabalho, Amigos, Criatividade (sorte dos filhos), Relacionamentos (casamentos, parcerias) Sucesso, Prosperidade, Família e Espiritualidade (Educação, Conhecimento).
  • angelainesveiga

    Oct. 23, 2019
  • MateusCobra

    Oct. 10, 2018
  • nathaliacavalcanti50

    Jun. 19, 2017

Baixem para terem acesso às anotações, animações e vídeos. Seminário apresentado na disciplina de Saúde da Família, no curso de Medicina, da UFCG

Views

Total views

4,151

On Slideshare

0

From embeds

0

Number of embeds

1

Actions

Downloads

62

Shares

0

Comments

0

Likes

3

×