Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

2

Share

Download to read offline

Ciência Ambiental e Interdisciplinaridade - Fundamentos

Download to read offline

Aula da disciplina de Ciência Ambiental, UFABC, setembro de 2017

Related Books

Free with a 30 day trial from Scribd

See all

Related Audiobooks

Free with a 30 day trial from Scribd

See all

Ciência Ambiental e Interdisciplinaridade - Fundamentos

  1. 1. CIÊNCIA E TECNOLOGIA AMBIENTAL Elizabete Campos de Lima Vitor Vieira Vasconcelos Leandro Reverbery Trambosi 2017 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC Curso de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia Ambiental
  2. 2. O ambiente pode ser definido como o conjunto de condições externas, físicas e bióticas, nas quais um organismo vive. Inclui para a espécie humana valores sociais, culturais, econômicos e políticos, assim como os fatores mais conhecidos, como o solo, o clima e a produção de alimentos. ALLABY, Michael (Ed.). A dictionary of ecology. Oxford University Press, 2010 Ciência e tecnologia ambiental
  3. 3. Relações homem-natureza - Visão mágica - Visão mecanicista - Visão utilitarista: fonte de recursos Ciência e tecnologia ambiental OLIVA, Alberto. Filosofia da Ciência. Zahar, 2003
  4. 4. Relações homem-natureza - Visão mágica - Visão mecanicista - Visão utilitarista: fonte de recursos - Percepção da natureza - Até a época medieval = sagrada - Época moderna = objeto a ser dissecado, explicado e, quando possível e desejável, modificado com base nos interesses maiores da humanidade. OLIVA, Alberto. Filosofia da Ciência. Zahar, 2003 Ciência e tecnologia ambiental
  5. 5. Cada ser humano tem uma forma de perceber o que está em sua volta. Essa percepção individual depende da sua personalidade, da sua cultura, da sua situação sócio-econômica, da sua memória, etc. Há várias formas de se descobrir o meio pelo qual as pessoas percebem o meio ambiente com o qual interagem. Ciência e tecnologia ambiental MANTOVANI, Waldir. Relação homem e natureza: raízes do conflito. Gaia Scientia, v. 3, n. 1, 2009.
  6. 6. Pode ser que isso se dê através de informações verbais ou não-verbais, ou de sistemas simbólicos, isto é, de convenções ou rituais que adotam em sua prática social. Ciência e tecnologia ambiental MANTOVANI, Waldir. Relação homem e natureza: raízes do conflito. Gaia Scientia, v. 3, n. 1, 2009.
  7. 7. O que é Ciência? Ciência é um conjunto de descrições, interpretações, teorias, leis, modelos, etc., visando ao conhecimento de uma parcela da realidade, em contínua ampliação e renovação, que resulta da aplicação deliberada de uma metodologia especial (metodologia científica) Freire-Maia N. A ciência por dentro. Petrópolis: Vozes; 1991 Ciência e tecnologia ambiental
  8. 8. O que é Ciência? Ciência é uma das formas do homem abordar o universo. Portanto, para uma melhor compreensão do seu significado, é necessário conhecermos as demais formas existentes, e como se relacionam entre si. Ciência e tecnologia ambiental
  9. 9. Ciência ...a ciência é, antes de tudo, um modo de pensar: aberto, não dogmático, falível, mas aperfeiçoável, porque sujeito à crítica e à refutação. Descreve o mundo tal qual é, solapando falsas certezas, sem prescrever normas ou valores morais, ideológicos ou religiosos... Ciência e tecnologia ambiental
  10. 10. A Ciência Ambiental tem que resolver duas questões que lhe são colocadas: - a problemática ambiental se afigura pelos fatores e interações envolvidos nos sistemas analisados, dificultando uma integração teórica e metodológica, e Ciência e tecnologia ambiental ABRAMOVAY, Ricardo. Construindo a ciência ambiental. Annablume, 2002.
  11. 11. A Ciência Ambiental tem que resolver duas questões que lhe são colocadas: - a problemática ambiental se afigura pelos fatores e interações envolvidos nos sistemas analisados, dificultando uma integração teórica e metodológica, e - a dificuldade dos próprios pesquisadores de se afastarem de suas especialidades, fazendo surgir novos pontos de vista, necessários nas questões ambientais. Ciência e tecnologia ambiental ABRAMOVAY, Ricardo. Construindo a ciência ambiental. Annablume, 2002.
  12. 12. A Ciência Ambiental enfrenta algumas ameaças perante suas pesquisas, que são as insuficiências dos dados, a deficiência dos modelos e os aspectos que estão além dos conhecimentos disponíveis atualmente, como a mensuração dos serviços ambientais. Ciência e tecnologia ambiental
  13. 13. - Natureza Complexa Ciência e tecnologia ambiental
  14. 14. - Natureza Complexa - Simplificação da natureza: atomismo grego. Ciência e tecnologia ambiental
  15. 15. - Natureza Complexa - Simplificação da natureza: atomismo grego. - Número limitado de partículas indivisíveis (atomismo). (século IV antes de nossa era). Ciência e tecnologia ambiental
  16. 16. O atomismo significa uma “vontade de atomizar a natureza inteira” a fim de “torná-la penetrável ao espírito humano”. LENOBLE, Robert. História da idéia de natureza. Edições 70, 1990. Ciência e tecnologia ambiental
  17. 17. O atomismo significa uma “vontade de atomizar a natureza inteira” a fim de “torná-la penetrável ao espírito humano” (Robert Lenoble: História da idéia de natureza). O atomismo inaugura uma explicação materialista e mecanicista, que tem como principal consequência a desmistificação total da natureza. GONÇALVES, Márcia Cristina Ferreira. Filosofia da natureza. Zahar, 2006. Ciência e tecnologia ambiental
  18. 18. Ordem O Universo é regido por leis imperativas: concepção determinística e mecânica (Positivismo) Ciência e tecnologia ambiental
  19. 19. Separação Estudo do todo pelas partes (cartesiano): especialização Ciência e tecnologia ambiental
  20. 20. Separação Estudo do todo pelas partes (cartesiano): especialização Hiperespecialização: 7 campos de conhecimento em 1300, 54 em 1950 e 8530 em 1987 Ciência e tecnologia ambiental
  21. 21. Separação Estudo do todo pelas partes (cartesiano): especialização Hiperespecialização: 7 campos de conhecimento em 1300, 54 em 1950 e 8530 em 1987 Separação dos objetos de análise do ambiente e, por consequência, entre o sujeito cognoscente e o objeto do conhecimento Ciência e tecnologia ambiental
  22. 22. O pensamento disciplinar pressupõe fronteiras que delimitam formalmente seu campo de conhecimento MORIN, E. Ciência com Consciência, Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008 Ciência e tecnologia ambiental
  23. 23. As disciplinas se fecham e não se comunicam com as outras. Ciência e tecnologia ambiental MORIN, E. Ciência com Consciência, Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008
  24. 24. As disciplinas se fecham e não se comunicam com as outras. Os fenômenos são cada vez mais fragmentados, e não se consegue conceber a sua unidade. Ciência e tecnologia ambiental MORIN, E. Ciência com Consciência, Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008
  25. 25. As disciplinas se fecham e não se comunicam com as outras. Os fenômenos são cada vez mais fragmentados, e não se consegue conceber a sua unidade. Cada disciplina pretende primeiro fazer reconhecer sua soberania territorial e, às custas de algumas magras trocas, as fronteiras confirmam-se em vez de desmoronar MORIN, E. Ciência com Consciência, Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008 Ciência e tecnologia ambiental MORIN, E. Ciência com Consciência, Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008
  26. 26. Pode-se concordar que a especialização levada ao paroxismo, como ainda ocorre hoje em alguns campos, foi e é um problema, mas também foi e é solução na medida que possibilita o avanço do conhecimento humano. (Jantsch & Bianchetti, 1995). Ciência e tecnologia ambiental
  27. 27. O crescimento contemporâneo dos saberes não tem precedente na história humana. Por outro lado: - quanto mais sabemos do que somos feitos, menos compreendemos quem somos; Ciência e tecnologia ambiental NICOLESCU, B. Manifesto da transdisciplinaridade. São Paulo: Ed. Trion, 2008.
  28. 28. O crescimento contemporâneo dos saberes não tem precedente na história humana. Por outro lado: - quanto mais sabemos do que somos feitos, menos compreendemos quem somos; - a proliferação de disciplinas torna ilusória a unidade do conhecimento; Ciência e tecnologia ambiental NICOLESCU, B. Manifesto da transdisciplinaridade. São Paulo: Ed. Trion, 2008.
  29. 29. O crescimento contemporâneo dos saberes não tem precedente na história humana. Por outro lado: - quanto mais sabemos do que somos feitos, menos compreendemos quem somos; - a proliferação de disciplinas torna ilusória a unidade do conhecimento; - conhecemos o universo exterior e perdemos os sentido de nossa vida e de nossa morte; Ciência e tecnologia ambiental NICOLESCU, B. Manifesto da transdisciplinaridade. São Paulo: Ed. Trion, 2008.
  30. 30. O crescimento contemporâneo dos saberes não tem precedente na história humana. Por outro lado: - quanto mais sabemos do que somos feitos, menos compreendemos quem somos; - a proliferação de disciplinas torna ilusória a unidade do conhecimento; - conhecemos o universo exterior e perdemos os sentido de nossa vida e de nossa morte; - ocorre atrofia do ser interior como preço ao conhecimento científico. NICOLESCU, B. Manifesto da transdisciplinaridade. São Paulo: Ed. Trion, 2008. Ciência e tecnologia ambiental
  31. 31. - Disciplinar: exploração científica e especializada de determinado domínio homogêneo de estudo. - Multidisciplinar: empréstimo entre várias disciplinas, sem que haja enriquecimento mútuo. - Interdisciplinar: reciprocidade entre disciplinas - Transdisciplinar: integração total, com eliminação das fronteiras estáveis entre as disciplinas. Ciência e tecnologia ambiental PIAGET, Jean; DUCKWORTH, Eleanor. Genetic epistemology. American Behavioral Scientist, v. 13, n. 3, p. 459-480, 1970.
  32. 32. A construção de Teorias em Ciência Ambiental - Limites à interdisciplinaridade  A formação do indivíduo pesquisador Ciência e tecnologia ambiental
  33. 33. A construção de Teorias em Ciência Ambiental - Limites à interdisciplinaridade  A formação do indivíduo pesquisador  Alunos de graduação e o olhar disciplinar Ciência e tecnologia ambiental
  34. 34. A construção de Teorias em Ciência Ambiental - Limites à interdisciplinaridade  A formação do indivíduo pesquisador  Alunos de graduação e o olhar disciplinar  Iniciação à Ciência Ambiental Ciência e tecnologia ambiental
  35. 35. A construção de Teorias em Ciência Ambiental - A participação dos docentes na construção de uma Ciência Ambiental Ciência e tecnologia ambiental
  36. 36. A construção de Teorias em Ciência Ambiental - A participação dos docentes na construção de uma Ciência Ambiental - As ciências com igual valor Ciência e tecnologia ambiental
  37. 37. A construção de Teorias em Ciência Ambiental - A participação dos docentes na construção de uma Ciência Ambiental - As ciências com igual valor - Fragilização do individualismo do cientista Ciência e tecnologia ambiental
  38. 38. A construção de Teorias em Ciência Ambiental - A participação dos docentes na construção de uma Ciência Ambiental - As ciências com igual valor - Fragilização do individualismo do cientista - A produção coletiva Ciência e tecnologia ambiental
  39. 39. A construção de teorias em Ciência Ambiental - Trabalhos nas interfaces do conhecimento Ciência e tecnologia ambiental
  40. 40. A construção de teorias em Ciência Ambiental - Trabalhos nas interfaces do conhecimento - Estudos de caso → padrões Ciência e tecnologia ambiental
  41. 41. A construção de teorias em Ciência Ambiental - Trabalhos nas interfaces do conhecimento - Estudos de caso → padrões - O olhar conjunto das disciplinas:  Áreas comuns Ciência e tecnologia ambiental
  42. 42. A construção de teorias em Ciência Ambiental - Trabalhos nas interfaces do conhecimento - Estudos de caso → padrões - O olhar conjunto das disciplinas:  Áreas comuns  Temas interdisciplinares Ciência e tecnologia ambiental
  43. 43. A construção de teorias em Ciência Ambiental - Trabalhos nas interfaces do conhecimento - Estudos de caso → padrões - O olhar conjunto das disciplinas:  Áreas comuns  Temas interdisciplinares  A discussão teórica Ciência e tecnologia ambiental
  44. 44. A construção de novas áreas de pesquisa - Biofísica - Química e Engenharia ambiental - Conservação biológica - Epidemiologia - Ecologia humana - Sistemas complexos Ciência e tecnologia ambiental
  45. 45. O método na Interdisciplinaridade - A fase de descrição (Narrativa ou História Natural) Ciência e tecnologia ambiental
  46. 46. O método na Interdisciplinaridade - A fase de descrição (Narrativa ou História Natural) - Apropriação de métodos de outras áreas: novos métodos? Ciência e tecnologia ambiental
  47. 47. O método na Interdisciplinaridade - A fase de descrição (Narrativa ou História Natural) - Apropriação de métodos de outras áreas: novos métodos? - Delineamento experimental: controle e réplicas? Ciência e tecnologia ambiental
  48. 48. O método na Interdisciplinaridade - A fase de descrição (Narrativa ou História Natural) - Apropriação de métodos de outras áreas: novos métodos? - Delineamento experimental: controle e réplicas? - Atendimento de hipóteses e objetivos: capacidade de extrapolação dos dados. Ciência e tecnologia ambiental
  49. 49. A análise na Interdisciplinaridade - Análises multivariadas - O uso da linguagem Matemática - Ciência inexata - Bases de dados: estudos de casos e sínteses Ciência e tecnologia ambiental
  50. 50. Considerações finais Os cientistas ambientais devem ultrapassar o reducionismo de seu nicho particular e restrito e atingir um patamar de não competitividade, mas de complementaridade científica. Ciência e tecnologia ambiental
  51. 51. Considerações finais - Ciência Ambiental como eixo integrador de um novo modelo de Cidadania Ciência e tecnologia ambiental
  52. 52. Considerações finais - Ciência Ambiental como eixo integrador de um novo modelo de Cidadania - A apropriação dos recursos da natureza para o benefício de poucos Ciência e tecnologia ambiental
  53. 53. Considerações finais - Ciência Ambiental como eixo integrador de um novo modelo de Cidadania - A apropriação dos recursos da natureza para o benefício de poucos - Nova postura da sociedade diante do ambiente: valores comuns e uma nova (?) ética Ciência e tecnologia ambiental
  54. 54. Considerações finais - Ciência Ambiental como eixo integrador de um novo modelo de Cidadania - A apropriação dos recursos da natureza para o benefício de poucos - Nova postura da sociedade diante do ambiente: valores comuns e uma nova (?) ética - Ambientalismo e Ciência Ambiental, o papel da Academia Ciência e tecnologia ambiental
  55. 55. Considerações finais “A interdisciplinaridade, enquanto princípio mediador entre as diferentes disciplinas, não poderá jamais ser elemento de redução a um denominador comum, mas elemento teórico-metodológico da diferença e da criatividade. A interdisciplinaridade é o princípio da máxima exploração das potencialidades de cada ciência, da compreensão dos seus limites, mas, acima de tudo, é o princípio da diversidade e da criatividade.” ETGES, Norberto J. Produção do conhecimento e interdisciplinaridade. Educação e realidade, v. 18, n. 2, p. 73-82, 1993. Ciência e tecnologia ambiental
  56. 56. Considerações finais “A universidade, se quiser, de fato, ‘patrocinar’ a interdisciplinaridade, precisa: a) relativizar a departamentalização; b) desburocratizar os processos que envolvem os projetos de pesquisa ou de pesquisa-ação; c) dar prioridade aos possíveis projetos interdisciplinares.” JANTSCH, A. P. & BIANCHETTI, L. Interdisciplinaridade - Para além da filosofia do sujeito. In: JANTSCH, A. P.; BIANCHETTI, L. (Orgs.) Interdisciplinaridade. Para além da filosofia do sujeito. Petrópolis: Vozes. 2000 Ciência e tecnologia ambiental
  57. 57. Obrigado! Vitor Vieira Vasconcelos vitor.v.v@gmail.com Créditos a Waldir Mantovani pela contribuição em versões anteriores desta aula
  • SonhadoraLine

    Jun. 24, 2020
  • kilmarocha

    Oct. 22, 2017

Aula da disciplina de Ciência Ambiental, UFABC, setembro de 2017

Views

Total views

297

On Slideshare

0

From embeds

0

Number of embeds

0

Actions

Downloads

9

Shares

0

Comments

0

Likes

2

×